sexta-feira, 26 de março de 2010

Serão Literário com Luiz Ruffato

O escritor Luiz Ruffato foi o convidado do Serão Literário deste mês. O autor fez  a leitura de vários dos seus textos e eu, que não o conhecia, achei o seu estilo de escrita diferente, forte e muito interessante.
Nascido em Cataguases (MG), em fevereiro de 1961, filho de um pipoqueiro e de uma lavadeira. Formado em Comunicação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, já foi, nesta ordem, pipoqueiro, caixeiro de botequim, balconista de armarinho, operário têxtil, torneiro-mecânico, jornalista do Estadão, sócio de assessoria de imprensa, gerente de lanchonete, vendedor de livros autônomo e novamente jornalista. Há oito anos vive somente da literatura.
Publicou Histórias de Remorsos e Rancores (1998) e Os sobreviventes em 2000, ambos coletâneas de contos.
Ganhou os prêmios APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional com o romance Eles Eram Muitos Cavalos, de 2001. Este livro foi publicado também na Itália (Milão, Bevino Editore, 2003), na França (Paris, Métailié, 2005) e Portugal (Espinho, Quadrante, 2006).
Em 2002, publicou As máscaras singulares (poemas) e Os Ases de Cataguases, contribuição para a história dos primórdios do Modernismo (ensaio).
Em 2005, iniciou a série Inferno provisório, projetada para cinco volumes, com os livros Mamma, son tanto felice e O mundo inimigo. Destes seguiram-se Vista parcial da noite e O livro das impossibilidades. Esses romances foram premiados pela APCA como melhor ficção de 2005.
O mais recente livro desta série é´"Estive em Lisboa e lembrei-me de ti".

3 comentários:

  1. Muito bom, quero ler.
    Obrigado,...
    Lau

    ResponderExcluir
  2. eu tive a oportunidade de conhecer o Luiz pessoalmente ele teve na minha escola no bairro santa clara em cataguases o lugar aonde Luiz nasceu ontem dia 11/08/2010, muito simpático, adorei conhecer ele, com ele aprendi a dar importância para a leitura coisa que antes néah ligava

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha, Fernanda!Que coisa boa que o Luiz Ruffato conseguiu com essa visita! Continue firme na leitura; vc nunca irá se arrepender. Beijos

    ResponderExcluir